PROPOSTA - PARTE 17 E 18 - DE ALLAN PERCY,DO LIVRO: OSCAR WILDE PARA OS INQUIETOS


Foto de Casarão em Laguna - No click da Profª.Cleide Tamanini Bogo

17 – Nenhum homem é suficientemente rico para comprar seu passado.
Muitas pessoas investem sua energia em longos anos de psicanálise, quando deveriam dedicá-la a encontrar sua missão na vida. Investigar a fundo aquilo que fomos é importante quando precisamos superar um trauma, mas isso não faz com que a pessoa se sinta completa. Para nos sentirmos assim, é necessário algo que nos motive. E então a vida ganha sentido.
Como um náufrago a quem nada restasse, Oscar Wilde fazia do entregar-se aos prazeres um estilo de vida.
Também Nikos Kazantzakis, considerado por muitos o escritor grego mais importante do século XX, via nos prazeres que nos cercam nosso maior tesouro:
Como é humilde e simples a felicidade: um copo de vinho, castanhas assadas, um pequeno braseiro, o som do mar... A única coisa necessária para experimentar a felicidade aqui e agora é ter um coração humilde e simples.” Em seu túmulo austero, numa colina solitária na ilha de Creta, o epitáfio diz: nada anseio, nada temo, sou livre.

18 – Tudo no mundo está relacionado a sexo, exceto o próprio sexo, que está relacionado a poder.
O sexo é a engrenagem que move o mundo, mas também é a fonte de muitos dissabores e decepções. Em suas obras de teatro, Oscar Wilde ironizava o falso romantismo com que muitas vezes disfarçamos o que é apenas desejo.
Ele não foi o primeiro a assumir essa opinião, mas afirmava que estar apaixonado é exagerar a diferença entre a pessoa amada e o restante da humanidade.
Um artista contemporâneo que trata com humor o sexo e seus disfarces é Woody Allen. Em seu filme A última noite de Boris Grushenko , uma das personagens faz o seguinte discurso sobre o amor:
Amar é sofrer. Para evitar o sofrimento, não se deve amar. Mas, então, sofre-se por não amar. Portanto, amar é sofrer, não amar é sofrer, sofrer é sofrer. Ser feliz é amar; logo, ser feliz é sofrer. Mas o sofrimento deixa a gente infeliz, portanto para ser infeliz deve-se amar, ou amar para sofrer, ou sofrer por excesso de felicidade. Espero que você esteja entendendo. Se você não quiser cair nessa confusão, saiba distinguir o que é sexo dos sentimentos realmente sublimes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário