PROPOSTA - PARTE 35 E 36 - DE ALLAN PERCY,DO LIVRO: OSCAR WILDE PARA OS INQUIETOS



35 – Tenho gostos extremamente simples: só o melhor me satisfaz.
Os prazeres mais intensos que a vida nos proporciona são grátis ou exigem muito pouco dinheiro. Alguns deles:
·    Ouvir música.
·  Dar flores a quem não as espera.
·  Ver o pôr do sol. Ou o nascer do sol.
·  Dançar pela casa.
· Ler um romance que não conseguimos largar.
·    Preparar um prato diferente.
·    Visitar um amigo de surpresa.
·    Tomar banho de mar à luz da lua.
·     Cuidar de um bebê.
·     Estrear uma roupa íntima.
·     Conversar com o vizinho.
· Escutar o ruído das plantas depois de regá-las.
· Mergulhar numa piscina em um dia de muito calor.
·  Acariciar um gato e ouvi-lo ronronar.
·   Comemorar o dia de hoje.

36 – Perdoe sempre seu inimigo. Não há nada que o enfureça mais.
Nada nos proporciona mais alívio do que perdoar uma ofensa que vinha nos corroendo. Quando deixamos de lado o ressentimento, sentimos que estamos repentinamente liberados.  
Para conseguir isso, não devemos perdoar por nos considerarmos superiores, mas por assumirmos que tudo acontece tal como deve acontecer.
Cada pessoa se encontra em um estágio diferente de evolução espiritual, portanto age dentro de suas limitações.
Todos damos o que temos – seja muito ou pouco – segundo nossas possibilidades. Cada um está onde tem de estar e oferece o que pode oferecer.
Por isso, não há nada a perdoar. No máximo, podemos ajudar os outros a avançar um pouco em seu caminho para o crescimento pessoal.
Na realidade, quem age mal está pedindo nossa ajuda. E, na escola da vida, não há ofensas, apenas lições. Então deveríamos agradecer a esses indivíduos a oportunidade que nos dão de sermos melhores e nos tornarmos úteis. Ao ajudar, crescemos espiritualmente junto com a pessoa.
Como disse Oscar Wilde: “Procure me amar quando eu menos merecer, porque será quando mais precisarei.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário