KAFKA PARA SOBRECARREGADOS - DE ALLAN PERCY - PARTE 39 E 40


39 – Durante um tempo não consegui entender por que não recebia resposta à minha pergunta, e hoje não consigo compreender como pude estar tão enganado a ponto de perguntar. Mas não é que eu estivesse enganado; eu apenas perguntava.
Este trecho da obra de Kafka gira em torno da perplexidade do ser humano, que não para de formular perguntas, às vezes sem nem sequer saber por que se questiona. Isso é uma constante nos casais que discutem com frequência. Para eles, as perguntas deixam de ser uma busca de informação para se converter em arma para guerrear.
Quando nos sentimos perdidos em um mar de dúvidas e inseguranças, o problema pode estar em fazermos as perguntas erradas.
A ensaísta americana Fran Lebowitz afirmava que “As crianças frequentemente fazem melhores perguntas que os adultos. ‘Por que o céu é azul?’ ou ‘O que as vacas dizem quando mugem?’ talvez sejam questões mais transcendentes que as adultas: ‘Por que você não me ligou?’ ou ‘Quem é seu advogado?’.”

40 – Sempre respire ar fresco depois de uma explosão de vaidade e autocomplacência.
INSTRUÇÕES PARA MEDITAR: A RESPIRAÇÃO CONSCIENTE
1. Sente-se de forma confortável, com as pernas cruzadas ou mesmo numa cadeira, as costas eretas e os olhos semicerrados. As mãos podem estar no colo, com os dedos tocando-se ligeiramente.
2. Concentre toda a atenção no ar que entra e sai lentamente do seu corpo, trazendo o foco para as fossas nasais por onde ele passa.
3. Afaste, como se fossem nuvens, quaisquer pensamentos que surjam durante a meditação, sem avaliar se são positivos ou negativos. Simplesmente faça-os ir embora.
4. Faça este exercício por 15 ou 20 minutos. Durante esse tempo, sua respiração se torna mais leve e sua mente fica mais cristalina. Se quiser, acione um despertador com um toque suave para marcar o fim da meditação centrada na respiração consciente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário