KAFKA PARA SOBRECARREGADOS - DE ALLAN PERCY - PARTE 57 E 58




57 – Que grande esforço é continuar vivo! Levantar um pesado monumento não requer tanta força.
Um grande exemplo de superação pessoal é o atleta Albert Llovera. Aos 17 anos, ele sofreu um grave acidente de esqui e ficou paraplégico. Desde então, não lhe restou outra saída senão viver preso a uma cadeira de rodas. Em momento algum, no entanto, ele se deixou abater pelo desânimo. Após aceitar a situação, começou a buscar novos objetivos para sua vida.
O esqui é um esporte em que se desfruta da velocidade, razão por que buscou uma nova atividade que lhe propiciasse sensações parecidas. Começou a experimentar os carros – dirigidos sem pedais, só com as mãos – e pouco a pouco foi percebendo que poderia ter sucesso como piloto de rali.
Após uma batalha de papeladas, autorizações negadas e diversos impedimentos por parte das autoridades, conseguiu sua licença e atualmente é um dos pilotos mais respeitados nas competições.
A ausência de limites mentais em Albert Llovera lhe permitiu recriar uma vida plena, cheia de desafios e alternativas. 
58 – Em épocas de paz não se costuma chegar a lugar algum.
Vamos aplicar esta máxima kafkiana a uma das áreas da vida mais propensas ao conflito: os relacionamentos amorosos.
Quando o conflito explode, é comum as pessoas se fixarem nos aspectos negativos do companheiro, sem levar em conta que os aspectos positivos continuam intactos. Mas nesse momento não os vemos ou talvez não os queiramos ver.
Para extrair algum benefício de um conflito, uma das soluções é recuperar a visão das coisas boas do parceiro e estar consciente do que podemos perder caso o desentendimento não seja resolvido.
É importante reconhecer os problemas que nós mesmos causamos, assumi-los e tentar solucioná-los. Essa é uma maneira de nos conhecermos melhor e sairmos fortalecidos. A inteligência emocional depende de reconhecermos tanto as nossas próprias emoções quanto as dos outros. Alguns casais se separam por algum tempo. Nesses momentos de solidão, a uma certa distância, é possível ver como foi o relacionamento. Então fica mais fácil avaliar a relação e valorizar os aspectos positivos que tinham passado despercebidos.
Cada crise superada reforça a relação, já que nos aprofundamos no conhecimento de nós mesmos e no do companheiro, e na força que tem o caminho que empreendemos juntos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário