NIETZSCH PARA ESTRESSADOS DE ALLAN PERCY - PARTE 72 E 73



72 – Não é raro encontrar cópias de grandes homens. E, como acontece com os quadros, a maior parte das pessoas parece mais interessada nas cópias do que nos originais

Ser autêntico na vida às vezes envolve dizer o que ninguém espera escutar.
Existe uma história que ilustra bem essa questão. Pediu-se a alguns estudantes que elegessem as Sete Maravilhas do mundo atual. Enquanto os votos eram apurados, a professora percebeu que uma jovem calada ainda não havia mostrado o que escrevera e por isso perguntou se ela estava com problemas para completar a lista.
– Estou – respondeu. – Não consigo me decidir. São tantas!
– Bem, então leia o que já escreveu e talvez possamos ajudá-la – disse a professora.
A menina hesitou antes de responder:
– Acho que as Sete Maravilhas do mundo são: ver, ouvir, tocar, provar, sentir, rir e amar.
A sala de aula ficou em silêncio. A verdade é que nunca pensamos nessas coisas tão simples e corriqueiras como as maravilhas que verdadeiramente são.
73 – Quem não teve um bom pai deve procurar um
Nas culturas mais ligadas à terra, a criança abandona sua família na adolescência para se tornar adulta e enfrentar sozinha as provações que a vida colocará em seu caminho. Isso acontece independentemente de ter tido bons ou maus pais, o que lhe dá segurança, pois ela se acha nas mesmas condições que os outros jovens. O Credo do Samurai resume o ideário do lutador que salva o próprio destino:
Não tenho pais;
faço do céu e da terra meus pais.
Não tenho poder divino;
faço da honra a minha força.
Não tenho recursos;
faço da humildade o meu apoio.
Não tenho o dom da magia;
faço da minha força de vontade o meu poder mágico.
Não tenho vida nem morte;
faço do Eterno minha vida e minha morte.
Não tenho corpo;
faço da coragem meu corpo.
Não tenho olhos;
faço do brilho do raio os meus olhos.
Não tenho orelhas;
faço do bom senso minhas orelhas.
Não tenho membros;
faço da vivacidade os meus membros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário